segunda-feira, 23 de abril de 2007

A esmagadora maioria dos jornais noticiosos falam em injustiça no resultado de ontem... O Aves perdeu por um a zero, num jogo em que dominou mas em que não soube transformar as oportunidades em golos. O Estádio do Clube Desportivo das Aves, bem composto, pode presenciar, também, uma arbitragem muito fuleirinha, que deixou passar faltas nítidas, que poupou nos cartões e que se atrapalhou nos foras-de-jogo (embora sem influência directa no resultado).

"Afinal, há duas sem três: o Aves não conseguiu adicionar mais uma vitória aos triunfos que conseguiu sobre o Boavista (casa) e Nacional (fora). Da derrota de ontem transpira alguma injustiça, já que a igualdade traduziria com fidelidade o que ambas as equipas foram capazes de expressar dentro do relvado. Face ao resultado, o que prevalece logo que esvaziadas as emoções, foram, na verdade, passos em sentido contrário." - OJOGO

"Sem qualquer laivo de simpatia, manda a verdade dizer que o Aves voltou a não ser uma equipa feliz na tarde de ontem, de festa para os muitos seguidores do emblema da capital do móvel que demandaram a Vila das Aves. A insistente reivindicação de Neca faz todo o sentido e, quis o destino, volta a ter mais uma bola nos ferros para adicionar à colecção que a formação das Aves acumulou nas primeiras jornadas da prova. O Aves foi quase dono e senhor do jogo nos primeiros 45 minutos e, então já com o tabuleiro mais equilibrado, desfrutou das melhores ocasiões na etapa complementar, onde desperdiçou ocasiões para se colocar em vantagem." - OJOGO

«Tive uma infelicidade naquele lance, mas assumo toda a responsabilidade sobre o meu erro. Tenho que pedir desculpa ao grupo e aos adeptos. Deram-me muita força e tenho que lhes agradecer. Ataquei a bola com excesso de confiança e acabei por falhar. Não costuma acontecer, mas hoje foi um dia não. É um momento difícil mas queremos acreditar na manutenção, mesmo depois da surpresa desagradável de hoje». - ANILTON JÚNIOR

"Hoje pode falar-se de injustiça. Uma palavra tantas vezes utilizada de forma abusiva por Neca, mas que faz todo o sentido na derrota do Desp. Aves perante o Paços de Ferreira. Um único golo de Ricardinho, a três minutos do final, reforçou as aspirações europeias dos «castores», mas tornou o resultado numa volúpia de mentira. O Paços não merecia vencer, o Aves tudo fez para sair com um resultado positivo. Contas feitas, a manutenção adquire ares de alucinação para a equipa da casa, enquanto a UEFA é cada vez uma possibilidade mais forte para o conjunto de José Mota." - MAISFUTEBOL

"Foi um autêntico balde de água fria para as hostes avenses, que viram o médio Ricardinho, entrado ao minuto 79, colocar os pacenses em vantagem muito perto do final do encontro, aos 87 minutos, deixando quase sem reacção a formação de Neca, que até então tinha controlado o rumo dos acontecimentos." - SPORTUGAL

Ligações:
OJOGO - "Paços em sentido contrário"
OJOGO - O Aves um a um
OJOGO - O Árbitro
OJOGO - O Momento
OJOGO - Lances Chave
OJOGO - A Estrela
MAISFUTEBOL - Ficha do Jogo
MAISFUTEBOL - Crónica
MAISFUTEBOL - Destaques
MAISFUTEBOL - Reacção dos treinadores
MAISFUTEBOL - "Anilton Júnior: «Peço desculpa a todos»"
ABOLA - Edição do Dia
RECORD - Jogo ao Minuto
SPORTUGAL - "Paços de Ferreira cada vez mais Europeu"
PÚBLICO - "Paços de Ferreira vence 1-0 o Desportivo das Aves"

2 Comments:

  1. Anónimo said...
    xau xau primeira liga.
    Zé Fernandes said...
    ha q acreditar...

Post a Comment