quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

FOI QUALIFICADO PARA A FINAL DA CAN, MAS NÃO VAI JOGAR PORQUE FOI EXPULSO POR AGREDIR O MAQUEIRO DE SERVIÇO

Com apenas 19 anos, Andre Stephane Bikey Amougou foi emprestado pelo Paços de Ferreira ao Aves, pela mão de José Gomes (em 2003/2004). Este jovem defesa camaronês não convenceu no futebol português mas é actualmente uma das esperanças do Reading de Inglaterra. Hoje, foi expulso, na meia-final da CAN, depois de "atirar pró chão" um dos maqueiros de serviço... A sua selecção qualificou-se para a final, mas Bikey vai ficar de fora por causa de um temperamento agressivo que não surpreendeu José Mota (treinador do Paços na altura em que Bikey por lá passou). O MAISFUTEBOL fez uma reportagem analisando a carreira do jogador, com destaque pela sua passagem em Portugal! A não perder, nas "Ligações".



Ligações:
MAISFUTEBOL - "Bikey (ex-Paços) agrediu maqueiro na CAN: «Era pouco equilibrado»"

6 Comments:

  1. jose said...
    era pouco equilibrado mentalmente...(disse o José Mota)

    deselegante, injusto e, pior, falso.

    Tive a oportunidade de o dizer também ao maisfutebol, quando o fui buscar ao Marco, Bikey era ainda júnior, completou 19 anos já ao serviço do Desportivo das Aves, depois de o Paços ter pago para ele sair.Foi para o Paços a custo zero, assinou um contrato com a duração de 2 anos. O Paços pagou, quase na totalidade, o ordenado quando veio para o Aves e indeminizou-o pelo 2º ano de contrato que nunca chegou a cumprir. Com a sua entrada no Aves chegaram também bons resultados, tivemos 5 vitórias seguidas e um empate na casa do Varzim.
    Muito forte, muita qualidade de passe, forte no jogo aéreo, bom posicionamento defensivo para o desarme, rápido, enfim reunia todos os predicados, tal como lhe disse, para ser um central de top. Não nos podemos esquecer que estamos a falar de um jogador que na época tinha 18 ou 19 anos, com um processo de evolução a iniciar no futebol profissional. De trato fácil e docil, com algumas reacções próprias da timidez de um jovem adolescente, mas também com a irreverência adequada à sua idade. Sentido de equipa enorme, com uma vontade de superação muito elevada, queria melhorar, gostava que o corrigisse e se possível que lhe explicasse os melhores procedimentos para o seu caminho de evolução qualitativa. Mas voltando ao sentido colectivo, foi este aspecto que o atraiçoou nesta meia final contra o Gana, em representação da selecção do seu país. Empurrou o maqueiro ganês porque se apercebeu que este fazia alguns movimentos bruscos com o elemento do departamento médico dos Camarões, saiu intempestivamente em sua defesa, errou e está fora da final. Representou desde muito jovem as cores do Camarões, fê-lo sempre com orgulho, honra e dedicação extrema. Foi e continua a ser muito regrado com os seus hábitos alimentares e sociais de forma a poder potenciar as qualidades que possui. Foi sempre de um profissionalismo exemplar, não sendo naturalmente perfeito, defendeu as cores do Aves com muita coragem e grande entrega, como lhe competia é certo, mas deixou uma imagem de força e sentido de missão na defesa dos interesses do clube.
    Considerando-o, desde sempre, um grande profissional e de inquestionável qualidade, escrevo para o defender. Defender um jogador que foi injustamente criticado por quem sabe, ou pensa que, jamais Bikey irá ler as suas declarações. Sei que se Bikey em Inglaterra, nos Camarões, no Gana ou seja onde for, lesse algum artigo a dizer falsidades sobre o Aves ou algum colega de trabalho do Aves, sei com a mais forte das convicções, que Bikey defenderia com coragem a reposição da verdade.
    Na preparação da época seguinte, ao ouvir o meu convite para me acompanhar para representar o Leixões, disse, com segurança, que preferia esperar, pois entendia que a sua qualidade e esperança no futuro merecia um trampolim mais forte. Esperou, esperou, esperou e no limite de encerramento do período de inscrições, liguei-lhe a formular novo convite obtive a mesma resposta. Ficou a treinar sozinho em Espanha, onde acabou por casar,e 3 meses mais tarde surgiu uma proposta do Shinik da Rússia. Por lá jogou, mas apenas 3 ou 4 meses e o, atento, Lokomotiv contratou-o. Representou o Lokomotiv dos 20 para 21 anos, fruto das parcerias económicas entre o futebol russo e inglês, assinou pelo Reading sem nunca deixar de representar a sua selecção. O seu equilíbrio levou-o sempre a tomar as melhores decisões, seguiu sempre a a voz que no seu interior lhe garantia o caminho do sucesso. Conseguiu! Dirão todos. Quase todos, porque ele quer mais e continua com os olhos a brilhar quando se trata de aprender e evoluir. Sempre em paralelo com toda esta pequena história, Bikey continua a ajudar a sua enorme família, a viver os problemas deles com uma intensidade demasiado elevada para quem, 2 vezes por semana, enfrenta adversários de grande qualidade.
    Meus queridos amigos avenses, o orgulho que sinto pelo meu contributo no percurso do Bikey, é concerteza, e na mesma proporção, o mesmo que qualquer leal e nobre avense sentirá pelo facto de tão ilustre figura ter já representado o este grande emblema. Mas Errou!
    Quem nunca...que atire...
    Forte abraço e sorte para o campeonato.
    jcr said...
    A reposição da verdade é sempre importante na vida,vida esta que está tão cheia de mentira por todo o lado...
    José Gomes, apesar de tudo,mais uma vez enalteço a atitude digna no momento certo que fica certamente registado pelos avenses que por aqui passam.
    Diogo said...
    Peço desculpa, mas desta vez não me parece q seja o "nosso" José Gomes a comenta...
    Parace-me a mim q foi mais alguem q decidiu passar por cá e "falsificar"
    Zé Fernandes said...
    diogo: vai completamete de acordo com o que foi dito por ele no maisfutebol...
    Diogo said...
    Sim, eu li e acho q diz o mesmo.
    Mas pode ser alguem, q, com base nisso tenha escrito isto !
    Até porque no antigo post notava-se uma diferença na expressividade e pontuação.
    Mas, se for mesmo ele, ainda bem!
    É sinal q está a par e tem acompanhado o blog e entra em "discussão" connosco !
    Abraço
    Zé Fernandes said...
    pois, como da outra vez disse, pela internet nao podemos confirmar nada com certeza absoluta. eu penso que o autor é mesmo o josé gomes.

    saudações avenses!

Post a Comment