sábado, 10 de maio de 2008

A direcção avense respondeu de pronto às acusações do Estoril-Praia (ver post em baixo). O presidente João Freitas disse que o clube está de portas abertas a uma auditoria às contas do clube. «Só pagamos aos atletas e à equipa técnica. Aqui os dirigentes não são remunerados, não há nenhuma SAD», foi uma das justificações do nosso presidente que remeteu para 2ªFeira explicações mais detalhadas sobre este assunto. Para já fica a nota da resposta rápida e clara que as acusações do Estoril mereciam.

"O presidente do Desportivo das Aves, da Liga de Honra de futebol, disse hoje que o clube está de «portas abertas» a uma auditoria, rejeitando a acusação do Estoril-Praia de ter apresentado pressupostos financeiros falsos. Segundo João Freitas, em declarações à Agência Lusa, «o Desportivo das Aves está absolutamente tranquilo e de portas abertas para as auditorias que acharem necessárias». O clube deverá reagir com mais detalhe segunda-feira, em comunicado.

O dirigente reagiu à acusação da SAD estorilista de que o Desportivo das Aves e outros seis clubes (Olhanense, Gondomar, Freamunde, Fátima, Feirense e Vizela) apresentaram pressupostos financeiros falsos no início do campeonato, o que os impediria de competir.

Segundo o presidente avense, «os custos com o pessoal são reduzidos, porque o quadro do Desportivo das Aves é pequeno». «Só pagamos aos atletas e equipa técnica. Aqui os dirigentes não são remunerados, não há nenhuma SAD», afirmou, numa "bicada" à sociedade anónima do Estoril, detida maioritariamente pelo empresário João Lagos.

João Freitas confirmou que o orçamento de 370 mil euros corresponde à realidade avense, sendo que «como é óbvio, podem haver alterações ao longo da época, com saídas e entradas de jogadores em Dezembro, por exemplo», o que aconteceu no Desportivo das Aves.

Segundo o responsável, essas mexidas no plantel podem até ter ditado que tenham gasto «ainda menos». João Freitas reforçou que os responsáveis do clube estão «completamente descansados» e afirmou que, tal como o Estoril, também pugnam pela verdade desportiva.

O dirigente assegurou que o clube faz uma «gestão equilibrada» e, por isso, consegue fazer «orçamentos baixos». «O deste ano é até superior ao do ano em que subimos de divisão. Sei o que outros clubes pagam aos jogadores, mas aqui só pagamos o que podemos», atirou.

João Freitas frisou ainda que em Dezembro «o Desportivo das Aves fez inúmeros sacrifícios financeiros para regularizar a sua situação fiscal», quando a Liga apenas exige tal pressuposto antes do campeonato começar." - LUSA





Ligações:
LUSA - "Aves diz estar aberto a auditoria e refuta acusações do Estoril-Praia"
RECORD - "Clube de portas abertas a uma auditoria"

2 Comments:

  1. robertohugo13 said...
    Mais uma vez deve ser uma brincadeira de mau gosto esta atitude da parte do Estoril, pois se não fosse a boa vontade de muita gente à dois anos atrás o Estoril já não existia... não me digam que ainda queriam subir à 1ªliga com salários em atraso !?
    Zé Fernandes said...
    eu acho que eles estão curiosos em perceber como poupar dinheiro... estão mal habituados a esbanjar e surpreendem-se com tanta gente a gastar pouquinho...

Post a Comment